top of page
  • Foto do escritorAssergs

Ninho do Urubu: um aspecto preventivo para que novas tragédias não ocorram

No último dia 8, um incêndio nos alojamentos das categorias de base do Flamengo fez 10 vítimas fatais. Segundo o G1, dois projetos enviados pelo Clube de Regatas do Flamengo à Prefeitura do Rio, um em 2010 e o outro em 2018, não previam o módulo de contêineres que pegou fogo.

Segundo o documento, a área do alojamento receberia outros usos. Na atualização, em 2018, os contêineres onde os atletas dormiam também não apareciam, mas o projeto contava com algumas alterações. Em nota, a prefeitura explicou que a licença obtida em abril pelo Flamengo com esse novo projeto permitia apenas a construção de prédios, e não a sua utilização.

Para a prefeitura, o local ainda estava em construção: não possuía o habite-se (certidão que atesta que o local está pronto para ser habitado e que foi construído de acordo com as exigências do município). O órgão público também revelou que o Ninho do Urubu não possuía alvará de funcionamento, e chegou a ser interditado em 2017.

São quando grandes tragédias acontecem que percebemos a real importância de seguir à risca as leis e normas que garantem a segurança dos trabalhadores. Os danos são irreparáveis, mas podem servir de aspecto preventivo para que novas tragédias como essa não ocorram!


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page